Transição Digital blog

Porquê e como ter sucesso na transição digital da sua empresa?

Numa sociedade cada vez mais digitalizada, a transição digital está a tornar-se uma questão importante para responder aos novos desafios da colaboração, do conhecimento da marca e da experiência do utilizador. Ainda recentemente definida pela digitalização de dados, a digitalização está a tornar-se um conceito chave, incluindo um conjunto de práticas, desde a simples utilização de novos equipamentos tecnológicos até à automatização de processos e relações com clientes. Actualmente, na Bélgica, mais de metade das empresas atestam que será cada vez mais difícil gerar crescimento e manter-se competitivas sem a ajuda da transição digital. No entanto, esta observação não é óbvia para todas as organizações onde os factores humanos e financeiros ainda são obstáculos ao desenvolvimento desta transição digital.

No entanto, através deste artigo, destacaremos porque é aconselhável começar a implementar a transição digital na sua organização, e quais são os 4 principais passos para ter sucesso nesta transformação digital.

O que é a transição digital e porquê adoptá-la?

Antes de compreender porque é necessário introduzir a transformação digital na sua organização, vamos voltar a uma breve definição desta última.

A transição digital refere-se ao processo de integração total das tecnologias digitais em todas as actividades de uma empresa.

A introdução destas tecnologias implica novas utilizações e modos de funcionamento. Podem ser uma fonte de inovação e produtividade para as empresas utilizadoras, tornando-as mais fortes no mercado.

Mas porquê investir nestas tecnologias digitais?

Segundo um estudo da PwC Digital, 57% dos gestores esperam aumentar o seu volume de negócios investindo em tecnologia digital e 80% deles pensam que a sua empresa deve tornar-se digital para inovar.

Para além do factor “inovação”, as empresas estão também a ter em conta elementos do mercado, o que implica uma mudança na forma como operam, como por exemplo:

  • As novas necessidades e exigências dos consumidores
  • O aumento da ligação entre os colaboradores

De facto, a transição digital também se dirige aos diferentes departamentos da sua organização. A colaboração torna-se transversal, comunicação horizontal para uma troca quase instantânea. A transformação digital permite assim ganhar internamente em velocidade, em competitividade mas também em coesão empresarial.

  • A melhoria da imagem de marca.

A tecnologia digital permite-lhe comunicar informações sobre as competências da sua empresa ao mundo exterior, tais como a automatização de processos e a melhoria da colaboração. …. Todas estas mensagens transmitidas aos seus clientes permitir-lhe-ão melhorar as suas competências, envolvendo ao mesmo tempo os seus funcionários.

A transição digital permite que várias organizações se empenhem verdadeiramente, permitindo-lhes destacar-se dos seus concorrentes a curto e médio prazo. Para tal, é primeiro necessário antecipar e desenvolver uma estratégia composta de várias etapas.

Os 4 passos-chave para uma transição digital bem sucedida

Passo 1: Inteligência

Este primeiro passo pode ser decomposto em 3 acções:

Fase de dinamização: antes do lançamento, as organizações devem sensibilizar as suas equipas e os seus funcionários ;
Criação de um roteiro: uma vez que os decisores tenham validado a implementação de uma transformação digital na sua organização, devem decidir sobre todos os objectivos a alcançar. Para onde é que a empresa quer ir? Com que ferramentas digitais? Por que razões?

Depois, têm de elaborar um roteiro que reúna as principais etapas da transição digital de acordo com o seu nível de digitalização, o seu sector de actividade e as suas necessidades. Um roteiro consiste em 3 passos:

O primeiro passo integra o plano de digitalização de processos internos, anteriormente realizados manualmente. A tecnologia irá optimizar os processos sem criar novos processos.

É o caso, por exemplo, da facturação electrónica, da digitalização de relatórios de despesas, do armazenamento de dados na nuvem, da digitalização das relações com fornecedores, etc.

O segundo passo consiste em desenvolver e expandir a oferta de produtos e negócios da empresa, sem alterar a sua actividade principal, o que pode gerar novas oportunidades de crescimento. Exemplo: criação de novos produtos ou serviços

O terceiro passo envolve a mudança da estrutura em que a organização se baseia.

Alinhamento dos canais internos e externos. O objectivo é harmonizar a transição digital em todos os departamentos da empresa, para que nenhum departamento seja deixado para trás. Isto é normalmente feito através da introdução de uma intranet e de uma extranet.

  • A intranet permite a recolha de dados na nuvem para que os empregados possam compreender e adaptar melhor os novos produtos e serviços digitalizados vendidos pela empresa.
  • A extranet, permite uma melhor interacção e garante uma experiência de cliente de qualidade.

Passo 2: Formação

Antes de pôr em prática o roteiro dedicado à transformação digital, é preferível informar e mobilizar equipas qualificadas sobre a integração das TI, mas também sobre o funcionamento e desenvolvimento destas ferramentas digitais.

Estas equipas são geralmente recrutadas internamente, mas também podem ser recrutadas externamente, o que implica uma despesa adicional e uma nova organização da empresa.

Passo 3: Implantação

É durante a implementação que o gestor de TI e a sua equipa intervêm para integrar as novas tecnologias. Com a ajuda de especificações, o departamento de TI testa as ferramentas digitais antes de instalar e desenvolver a ferramenta no sistema.

A fim de crescer e optimizar os vários processos, os gestores devem pressionar o seu departamento de TI para se manterem diariamente a par das últimas tendências tecnológicas e digitais do mercado.

Passo 4: Resultados

Quer haja ou não uma transição digital, é importante que as organizações avaliem as consequências e o impacto da sua política digital.

A análise dos KPI’s é recomendada e considerada como a melhor forma de observar o impacto da transformação digital.

Existem 4 tipos de KPI’s a avaliar

Indicadores de agilidade
  • Tempo desde a tomada de decisão até à implementação de soluções digitais
  • Tempo para disponibilidade no local do cliente
Indicadores de clientes
  • Experiência do utilizador
  • Retenção de clientes
  • Satisfação do cliente
Desenvolvimento de negócios
  • Avaliação de novas fontes de receitas
  • Investigação sobre soluções digitais
  • Grau de diferenciação em relação aos concorrentes
Excelência operacional

  • Tempo desde a tomada de decisão até à implementação de soluções digitais
  • Tempo para disponibilidade no local do cliente

Indicadores de clientes

  • Experiência do utilizador
  • Retenção de clientes
  • Satisfação do cliente

Desenvolvimento de negócios

  • Avaliação de novas fontes de receitas
  • Investigação sobre soluções digitais
  • Grau de diferenciação em relação aos concorrentes

Excelência operacional

  • Produtividade dos empregados
  • Recrutamento e retenção de empregados
  • Custos do sistema de informação
  • Qualidade dos novos processos e consideração dos erros
  • Revisão da eficiência operacional dos processos
  • Consideração da influência de parceiros inovadores necessária para o desenvolvimento

A transição digital, geralmente considerada como um factor de crescimento, afecta todos os sectores de actividade e todos os departamentos de uma organização para permitir a harmonização e colaboração dentro das empresas. Mas a sua implantação, mesmo que seja uma fonte de optimização do processo, deve ser preparada com antecedência.